Gerard Fourez

A Ciência e os quadrinhos sem legenda

O texto que segue foi retirado do livro "A construção das ciências", do físico teórico Gerard Fourez. 
 
"Pode-se comparar o processo científico a um jogo para os jovens que aparece no jornal: o da história em quadrinhos sem legenda. Esse jogo apresenta desenhos para os quais se deve encontrar uma "legenda". 
 
Um jogo cheio de convenções
 
Esse jogo implica, assim como a ciência, uma atividade cultural determinada por um consenso ligado a certo grupo. Para compreender o jogo, é preciso ter "pré-compreendido" um certo número de elementos de nossa cultura, em especial a maneira pela qual as histórias em quadrinhos são escritas. Essa compreensão implica a eliminação de outras possibilidades: desse modo, quando se compreendeu o jogo e o que é um desenho impresso, eliminam-se automaticamente os elementos que não parecem "pertinentes", por exemplo, a mancha de café que pode-se juntar ao desenho.
 
Da mesma maneira, o "jogo científico" começa por eliminar uma série de elementos, como considerações de acordo com as quais "Deus achou que as margaridas eram bonitas", a cor da mesa da qual se estuda o equilíbrio, e assim por diante. Considera-se desse modo o mundo situando-o de imediato na subcultura científica. Em outras culturas, os elementos religiosos ou poéticos não serão necessariamente eliminados da observação, assim como Newton não eliminava os argumentos teológicos de sua "filosofia natural", que denominamos "física".