Diógenes Laércio

O nascimento da Filosofia

Neste artigo, o Prof. Rodrigo Siqueira-Batista dialoga com o historiador Diógenes Laércio e discute as origens da filosofia em uma tentativa de recontar o surgimento da "dúvida".
 
"A alvorada do pensamento filosófico na Grécia inaugura uma nova atitude do homem / da mulher em relação à realidade – inscrita, claramente, no horizonte da dúvida –, a qual, de certo modo, manteve-se presente, no pensamento ocidental, ao longo dos últimos dois mil e quinhentos anos. A despeito da centralidade da filosofia naquilo que se costuma denominar cultura ocidental, sua emergência permanece como um fenômeno misterioso. Assim, tem provocado esforços de entendimento a partir de díspares frentes de argumentação: (1) as ponderações sobre uma origem alienígena da filosofia – reconhecendo-se que a mesma teria sido importada de outras culturas (formulação contraposta à concepção de pensamento filosófico como um saber grego autóctone) – e (2) a delimitação da(s) figura(s) índice(s) nestes primórdios da interrogação filosófica.
 
As posições sobre esta questão vêm sendo defendidas, por distintos pensadores, desde a Antigüidade. Neste ínterim, Diógenes Laércio – em sua obra Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres (doravante denominada Vidas e doutrinas) – traz considerações extremamente relevantes, as quais merecem uma análise mais detida. Com base nessas breves ponderações, o objetivo deste ensaio é apresentar um estudo preliminar sobre o Proêmio do Livro I, das Vidas e doutrinas, enfatizando as principais teses apresentadas pelo autor acerca do alvorecer da filosofia."