cultura

O Brasil odeia a igualdade, o mérito, o mercado

Nesta entrevista o antropólogo Roberto DaMatta discute o conceito de igualdade na cultura brasileira. Entre outras questões que nos fazem pensar, o autor derruba a ideia de que uma mudança no estado (acredito que o autor entenda estado aqui por governo!) acarretaria a tão sonhada transformação da sociedade. Ledo engano! Como bem ressaltou o pensador: "É justamente o contrário. Quem assume os cargos públicos são nossos iguais, companheiros, parentes. São como nós as pessoas que reproduzem no estado esse padrão duplo de usar de vez em quando uma ética igualitária e em outros momentos uma ética baseada em relações, nos contatos. O Brasil não gosta de ser igual, odeia a igualdade, o mérito, o mercado."
 
Clique no post e veja a entrevista completa...