julgamento

Só sei que nada sei: a frase que Sócrates nunca disse...

No mês de fevereiro do ano de 399, Sócrates morria, condenado por seus concidadãos a tomar cicuta (veneno) aos 71 anos de idade. Diante do tribunal, foi acusado por Meleto (poeta), Anitos (político) e Lição (personagem de pouca expressão), por desvirtuar a juventude de sua época. Não podemos conhecer Sócrates diretamente, pois nada escreveu, mas através de seus discípulos, Platão e Xenofonte, ou uma sátira de sua filosofia, com Aristófanes. De forma muito reduzida, podemos dizer que tudo nele consistia em pôr os homens à prova, sobretudo de seus conceitos e verdades. No trecho abaixo, Sócrates faz sua defesa pública e é exatamente nesta passagem que atribui-se ao ateniense a frase: "só sei que nada sei", sua expressão mais famosa, no entanto, jamais dita. Se Sócrates nunca utilizou tal sentença, o que de fato ele disse? Leiamos com atenção:

"Qual vem a ser a ciência? A que é, talvez, a ciência humana. É provável que eu a possua realmente, os mestres mencionados há pouco possuem, quiçá, uma sobre-humana, ou não sei que diga, porque essa eu não aprendi, e quem disser o contrário me estará caluniando. Por favor, Atenienses, não vos amotineis, mesmo que eu vos pareça dizer uma enormidade; a alegação que vou apresentar nem é minha; citarei o autor, que considerais idôneo. Para testemunhar a minha ciência, se é uma ciência, e qual é ela, vos trarei o deus de Delfos. Conhecestes Querefonte, decerto. Era meu amigo de infância e na também amigo do partido do povo e seu companheiro naquele exílio de que voltou conosco. Sabeis o temperamento de Querefonte, quão tenaz nos seus empreendimentos. Ora, certa vez, indo a Delfos, arriscou esta consulta ao oráculo — repito, senhores; não vos amotineis — ele perguntou se havia alguém mais sábio que eu; respondeu a Pítia que não havia ninguém mais sábio. Para testemunhar isso, tendes aí o irmão dele, porque ele já morreu.