Empédocles

Senso-comum: o despertar do sonho caótico da existência humana

O que é o tão mencionado "senso comum" na história do pensamento ocidental? Onde e quando perdemos o sentido tão rico que Empédocles, notável pré-socrático, lhe atribuía?
 
"Tudo tem seu nome apropriado. E há uma expressão que se encaixa na perfeição ao estado extraordinário de consciência (awareness) que Empédocles tinha em mente. Trata-se de "senso comum", expressão tão casual e alusivamente familiar, que, no entanto, tem um antigo e respeitável pedigree. "Sensus communis" em latim traduz koine aisthesis em grego, que por sua vez tem mais de dois mil anos de uso. A história desta expressão pode resumir em grande parte a história do pensamento ocidental, todo nosso aprendizado, nosso conhecimento e nossos equívocos intelectuais.
 
Para Empédocles a descoberta do "senso comum" — dessa consciência que é capaz de ouvir e ver e tocar e sentir e saborear ao mesmo tempo — era uma questão de experiência direta. E "experienciar" (aisthesis) era dar início ao despertar do sonho caótico da existência humana. Mas esta consciência era e ainda é tão rara, tão exigente sobre o que somos, tão incompreensível para as pessoas em geral porque tão distante do alcance de nossas mentes vagueantes, que o único caminho para se ter acesso a ela é através de um guia que tenha superado a simples condição humana.